Coisas que a Fereh repara

Foto: divulgaçãoHoje trago crônica inédita. Talvez um ensaio sobre coisas que ninguém nota.

Mas como diria meu husband: “você observa cada coisa Fernanda”, publica isso!

Ok, cá está mais um texto. Boa leitura. Opinem sobre este blog a vontade povo.

Beijocas.

As singularidades que não nos favorecem

Há os que não se incomodam com nada. Não dão vez aos detalhes, esquinas breves da vida. Pois bem, bom para eles e elas. Porque apesar de não existir gravidade alguma em detalhes pouco práticos de nossas vidas e nem tampouco drama, eles estão ali, chatos que só!

 Fronhas. As fronhas são fofinhas, por vezes bonitinhas e sempre práticas. Sempre? Quem foi o santo cidadão que inventou aquelas fronhas abertas no final? Sim, sem costura alguma, aberta como um grande envelope de papel. Ou ainda tem aquelas que são parecidas com as convencionais, elas vão bem até que… bem na metade está aberta! Sem costura, sem finalização. A indústria moderna que me perdoe, mas quem fez o design disso não teve mãe, vó ou cuidados na infância. Coisa mais chata é encapar o seu travesseiro e ver que tem uma parte dele querendo “fugir” da tal fronha mal feita. Sem chance, é um dos símbolos da antipraticidade.

 Mudando de fronha pra alimento. Temos uma lista grande de exemplos de embalagens nada prática de alimentos que compramos em toda parte. Teve aquela história do achocolatado em pó onde depois de muitas reclamações mudaram a embalagem metálica. Aquela onde você tinha que operar um quase milagre ao abrir e cortar uma perigosa superfície metálica redonda, e sem cortar o dedo!

 Pacotinho de biscoito (ou bolacha dependendo de onde você mora no Brasil). Esses também são campeões em nos fazer gastar uns segundos a mais. Sabe aquela modernidade do abre fácil? Que não tem muitos anos de invenção ainda e é encontrado em tudo quanto é pacote de alimento? É aquele pontinho do “abra aqui”. Só esquecem de escrever “abra aqui” se a tira não arrebentar, não romper no meio, ou o pacote todo abrir na sua mão, querido.

É tão bacaninha aquela tirinha né… somente devemos puxar e pronto, abriu o pacote. Na prática não é bem assim. As tirinhas vermelhas por vezes vêm com um tipo de cola, e te garantem poder lacrar a embalagem após o uso. Esse é dos níveis mais raros de eficácia, quase nunca da para lacrar de volta e você quase sempre arrebentou a tirinha. Sem falar dos sachês de maionese, ketchup e similares. Abrir com os dedos? Pode ser que sim no seu dia de sorte do horóscopo chinês. Mas são apenas detalhes, e afinal temos dentes afiados (depende o cidadão) pra quê?

Fernanda Rocha

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Crônica e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Coisas que a Fereh repara

  1. Ana disse:

    Ahhh concordo com tudo!Sobre as tirinhas vermelhas, existe alguma outra utilidade pra cola do que grudar nos nossos dedos e nos deixar com cara de bobos balançando a mão??
    Tanta evolução e quase nada muda…sejam as fronhas, almofadas ou bolachas, tem dias que os pequenos detalhes realmente saltam aos olhos!

    beijinhos

  2. Ioton Neto disse:

    Bom demais! Concordo em número, gênero e grau…Hummm….sim, vc observa cada coisa minha prima…Mas, n te preocupa, eu tb já tinha observado essas coisas…..Na verdade, as fronhas de travesseiro eu nunca tinha parado pra pensar. Mas qnto a “lata de nescau assassina”, as tirinhas dos pacotes e, principalmente, os sachês de condimento já, por diversas vezes foram alvo dos meus pensamentos! Em pleno século XXI e ninguém tem a capacidade de usar a tecnologia para criar algo mais “prático”?? Onde estão os inventores? Quer dizer, qnto as “fitinhas” dos pacotes, a ideia é ótima, pena que mtas vezes n funcionam…. rsrsrrsrs

    saaudadeees primaaa! Beijos

  3. Rafaela M. disse:

    Fer!!
    O blog está cada dia melhor!!
    Só para complementar, inventaram agora um super pacote de Nescau 800gr com fecho de zíper que (olha que supreendente!)NÃO FUNCIONA!!!
    Nada como a velha lata de Nescau…rs
    Um beijo!!!

  4. Naty disse:

    Hahahaha me diverti lendo esse!A tua cara! E a minha tbm..mas sou mais reparadeira em pessoas…acho q isso eh pior hehe
    Muito joia…e faz td o sentido pra mim, que como vc, tbm repara em td!
    Malditas tiras q arrebentam no começo da abertura do pacote de bolacha!
    Beijo!

  5. Dalton J. Tancredo disse:

    Tudo isso se resume em 3 palavras: Redução de Custos!

    Percebam que isto normalmente acontece em produtos sem concorrência e, se ela existe, estes fatores também se repetem nos concorrentes!

    No caso da fronha, normalmente são fronhas de hotel ou outro lugar que não a sua casa. Se o serviço, a localização e o café da manhã do hotel forem bons, você não vai trocar de hotel só por causa da fronha, vai? E eles sabem disso!

    Resumindo: Se um determinado fator, mesmo que incômodo, não faz o consumidor parar de comprar, ele dificilmente será mudado.

    Tanto é verdade que continuamos comendo os biscoitos e abrindo sachês com os dentes!

  6. Nani. disse:

    Rsrsrsrs muito bom…nada pior do que tentar abrir os sachês com os dentes e espalhar ketchup pelo queixo…e a lata de nescau que só abria com o auxílio de uma colher(alavanca)aff.

    Bejooo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s