Efeito Colateral

maria 1

Maria foi ao médico.

Maria que era Maria Madalena, assim batizada por pais muito religiosos, mas de pouco preconceito. Acharam por bem misturar, então Madalena nasceu junto com a filha Maria.

Mas ela vinha se queixando, não andava muito bem. Quando a mãe perguntou desde quando Maria assim se sentia, ela disse que desde os 15.

Feito um minucioso exame, o médico então diagnosticou e anunciou. Maria sofria de não enquadramento aos padrões vigentes.

Ela não entendeu bem no início, mas não demorou muito a absorver os conselhos do médico atento. Queria logo saber o que fazer, estava cansada de se sentir mal. Aquelas náuseas…

Disse ele que era até bem simples, mas exigia determinação. Que a recomendação médica era: Ser ela mesma de doze em doze, oito em oito, seis em seis horas e cada vez mais. E que seguisse firme contra as dores causadas pelo não enquadramento aos padrões vigentes. E ainda que se possível e aos poucos, fosse seu lado mais Madalena e menos Maria. Enfrentando sem medo seus efeitos colaterais de ser quem se é.

Fêre Rocha

 

maria 2

Anúncios
Esse post foi publicado em Poema, Poesia, Poet, Poetry, Uncategorized e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

11 respostas para Efeito Colateral

  1. Natalia disse:

    Como sempre eu adorei!
    O bom de ler seus escritos é que dão uma “chacoalhada” na nossa cabeça acomodada, nos faz pensar na nossa vida e consequentemente se identificar muito com o que lemos! Foi o caso agora por exemplo rsrs
    Parabéns!

  2. Ah, que inspiração pura! Começo-meio-fim.Como eu gosto assim. Tudo pensado, tudo analisado ,enfim… tudo é emoção, saiba escrever com o coração. Ah, como é bom!….

  3. Fabio Pantoni disse:

    Mais um texto, mais um presente!! Obrigado e sempre mais!

  4. Fereh disse:

    Nati! Bom saber que chacoalha. Assim é mais interessante, hehe.Obrigada por me ler desde sempre minha linda.

  5. Fereh disse:

    Silda querida, obrigada pelo comentário!

  6. Fereh disse:

    Obrigada Fabio! Volte sempre artista das telas.

  7. Inês mamis disse:

    Noossa, fiquei aqui estática com meus pensamentos qdo terminei de ler algo tão real.Quantas “Marias” você retratou para nós né Fereh? Quantas já se livraram desse “não enquadramento” que arrastaram as vezes por grande parte de suas vidinhas insonsas! Amei…até eu já sofri um pouco desse mal, e ainda bem; mandei p o espaço há muito tempo! Lindo escrito! Parabéns!

  8. Fereh disse:

    Que bom que gostou Rose! Que digam não às suas vidinhas insossas! Só cabe a nós encarar cada efeito colateral e mandar o machismo e todo moralismo para bem longe.

  9. Natalia disse:

    Até comentando a vó faz poesia! Fofa!

  10. A leitura prende. Foi escrito com uma ironia bem calculada sobre estes estigmas resultantes de padrões de comportamento impostos e aceitos tacitamente. Há que se denunciar e a via da escrita é caminho. Continue assim, Fereh, nos ofertando estas necessárias reflexões.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s