Berro de fada

13466509_10202106836187706_1178583909234255251_n

Eu arrancava
se pudesse
arrancava de ti
toda a angústia
arrancava com os dentes
se precisasse
mordia, tirava e cuspia
puxava
feito cabo de guerra
a corda bamba
de insegurança que sussurra
limpava com precisão
feito quem lustra sapatos
o fantasma que é passado
eu limpava e nem deixava
as marcas de
digitais, as digitais
o chão duro e frio do
desânimo, eu
trocava
lajota por lajota
te punha sob os pés
areia fofa e morna
e nos pés fazendo cócegas
te lembrarias da
maior
entre todas,
da criança a
faceirice transbordando
em ser quem se é
e
bastaria

Fêre Rocha

Anúncios
Esse post foi publicado em Poema, Poesia, Poet, Poetry e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Berro de fada

  1. Que delícia de versos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s