Teorema II

13619875_1326166917396946_1696984901652646024_n

e os barcos
de leme à deriva
saibam esses que
não farão chegada em
distante mar salgado,
vão todos afundar
muito antes de atracar
tomar a foz
pois sim que
barcos mimados
não vejam o céu
aos mimados
não lhes é permitido
a esses
não lhes será mostrado
(céu algum, céu algum)
especialmente e
surpreendentemente
o céu
da boca

Fêre Rocha

Anúncios
Esse post foi publicado em Poema, Poesia, Poet, Poetry e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s