Quebradura

 

A seca racha
a terra
a reza
o calcanhar
rachado pela seca
do cerrado
rachados
os lábios
com sede da sombra
dá sede
nuvem nenhuma
à vista e
nem refresco aos
corações
dizem alguns
não há dor maior
que rachadura
no meio do peito
dum descascar diário
alma ressecada
futuro quebradiço

Fêre Rocha

Anúncios
Esse post foi publicado em Poema, Poesia, Poet, Poetry e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s