Soltura

foto: Kyle Thompson

somos balões soltos no ar a torcer por vendedores disciplinados que nos segurem pelo cordão. e que nos puxem, mas que nos soltem sempre. temos vontades de soltura, entretanto não há desprezo pelo chão. é que ainda amanhã devemos fazer aquele passeio de balão. e que cena bizarra; dois balões acomodados em um imenso balão. gostaria ele também de alguém que o puxasse de volta? e quem poderia servir de balão ao balão que nos acolherá? nós rarefeitos por lá, nós comprimidos aqui. alguém assopra?

Fêre Rocha

Anúncios
Publicado em Poet, Prosa poética | Marcado com , , , , , | 4 Comentários

Arterial

imagem: divulgação

Lado raso
lado fundo
profundeza
fim de mundo
cavidade
moribundo
trampolim
salto fecundo

quem
consegue
e
n
t
r
a
r

no

coração?

Fêre Rocha

Publicado em Poema, Poesia, Poet, Poetry | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

O diabo não tira férias

Portrait Of A Dead Man, Damien Mammoliti

 

O diabo não tira férias, só pode ser isso. Trabalha de sol a sol. Faz hora extra. Porque estou no foco da hora do cafezinho com algum salgado pra acompanhar, naquele matar a fome charmoso, na mesa ao ar livre, lugar simpático e tal. Não tem como pensar em outra coisa; o lugar manda muito bem na comida e café e na mesa que é livre ao ar. Mas o capiroto já tá gargalhando aqui porque resolveram montar máquina de chopp do meu lado, bem do lado, tipo vizinho só que gelado com colarinho. Tento terminar meu cappuccino, mas com notável desprezo. Ele não entende minha demora. Ele que sempre me tem inteira. Pobre café. E o demo quase chora de rir quando o músico chega e o som já começa a se engraçar, e a guitarra, e a voz. Só pode ser gozação; vim pra um inocente lanche de quinta. A máquina tem duas torneiras, parece gelado. Cala a boca diabo!

Fêre Rocha

Publicado em Crônica | Marcado com , , , , , , , , , , | Deixe um comentário